quarta-feira, 31 de maio de 2017

Alucarda, la hija de las tinieblas (1977)


Direção: Juan López Moctezuma

Roteiro: Sheridan Le Fanu, Alexis Arroyo, Tita Arroyo, Juan López Moctezuma e Yolanda López Moctezuma

Elenco: Claudio Brook (Cigano corcunda)

David Davies (Aldeão)
David Weston (Gino)
Doreen Dawn (Anna-Marie)
Gaye Brown (Señora Escobar)
Hazel Court (Juliana)
Jane Asher (Francesca)
Julian Burton (Veronese)
Nigel Green (Ludovico)
Patrick Magee (Alfredo)
Paul Whitsun-Jones (Scarlatti)
Robert Brown (Guarda)
Skip Martin (Hop Toad)
Verina Greenlaw (Esmeralda)









   Alucarda é um filme mexicano conhecido pelo subgênero nunsploitation (algo como exploração de freiras). É uma adaptação de Carmilla, novela de ficção escrita pelo irlandês Joseph Sheridan Le Fanu, publicada em 1872, onde Carmilla é uma vampira de grande beleza que se apaixona por sua vítima Laura. O filme trata de temas como possessão, satanismo, erotismo e vampirismo que foram muito explorados na década de 70.







   Após sua mãe dar à luz, e morrer por forças estranhas, Alucarda é enviada a um convento, onde cresce junto à freiras que vivem vestidas com estranhas roupas brancas, que mais parecem enroladas em bandagens sujas de sangue, seguindo as regras e a vida daquele lugar. O tempo passa, até que um dia chega no convento Justine, uma jovem inocente da mesma idade de Alucarda, que acabara de perder seus pais e será sua colega de quarto. As duas acabam tornando-se muito amigas e mais pra frente mais que isso... Durante um passeio pelo campo, encontram um grupo de ciganos, entre eles um bizarro corcunda; após entrarem em uma capela, aparentemente, a mesma onde Alucarda nasceu, ela declara seu amor à Justine e começa a ouvir estranhas vozes perturbadoras.






   A partir daí começam as capirotagens, Alucarda de volta ao convento começa a gritar loucamente os nomes Belzebuth, Belphegor, Astaroth e Satan diversas vezes enquanto o cigano corcunda que havia aparecido no nada as guia para um pacto, onde Justine experimenta o sangue de Alucarda. As duas começam a blasfemar no convento durante as missas, aparecem cenas de rituais pagãos, orgias, bruxas e até uma presença assustadora com uma máscara de bode. Acusadas de satanismo, começam cenas de tortura, exorcismo e autoflagelação.



  Alucarda explora o lesbianismo, a repressão sexual, fanatismo religioso e o eterno debate entre fé e espiritualidade, tem cenas muito intensas, ambientação sombria e boas atuações se tornando um clássico do horror e exploitation.


                                      

Nenhum comentário:

Postar um comentário